Federação Catarinense de Motociclismo

ESPECIAL - Boas disputas na segunda
etapa do Catarinense de Supercross
Texto: Reportagem FCM - Fotos: Gerson Coas / FCM

Homenagem às Mães

 


Rainhas e princesas. Marcos Scapin, Roque Stanguerlin e pref. Wanderley Agostini

 

 

Pelo 10º ano consecutivo, o domingo das mães foi de muita disputa no Parque de Exposições Pouso do Tropeiro, em Curitibanos, com a segunda etapa do Campeonato Catarinense de Supercross. O público, mais uma vez, lotou as arquibancadas para assistir às provas, uma das principais atrações da 21ª Expocentro.


O púlbico, mais uma vez, lotou as arquiancadas para acompanhar as disputas

 

As baterias da 2ª etapa do estadual

Com um terceiro e um primeiro lugar na SX1 nas baterias, o garoto Rodrigo Riffel, de Gaspar, conquistou a sua primeira vitória em uma etapa correndo na principal categegoria do Catarinense de Supercross.

Na primeira bateria deu Jhonatan Batista em primeiro, seguido a apenas 3,5 segundos de Jonathan Menegasso. Batista, aliás, teve uma certa ajuda do local César Popinhak que estava em quarto. Como? No início Popinhak pressionou Rodrigo Riffel, que precisava defender a posição e assim liberava Menegasso que estava em segundo para conseguir as linhas mais rápidas. Na metade da prova Popinhak ficou sem a corrente. Riffel pode então respirar, fechando a bateria em terceiro.


Jonathan Menegasso e ao fundo Rodrigo Riffel e César Popinhak

 

Quando caiu o gate da segunda bateria da SX1, Batista saiu na frente, mas logo foi surpreendido por Riffel que largou na terceira posição, fez a ultrapassagem em Menegasso e assumiu a ponta da disputa. Jhonatan Batista ficou por duas voltas na segunda colocação até ser ultrapassado por Menegasso. Após perder duas posições, Jhonatan acabou caindo. “Eu tinha dois retardatários na minha frente. Fiz a curva numa linha diferente e parti para o salto no meio dos dois. Saltei em primeira marcha – no treino eu fiz aquele duplo em primeira, a moto deu em cima, mas consegui segurar – mas dessa vez na corrida não deu certo e aí foi só rolar...”, brincou Batista mostrando os braços esfolados.


Jhonatan Batista venceu a primeira bateria da SX1

 

Batista perdeu posições importantes, e voltou na quinta colocação. Enquanto isso, Riffel conseguiu abrir distância na ponta e finalizou a prova com 10 segundos de vantagem para Menegasso, segundo colocado. Na soma dos resultados, Rodrigo ficou com a vitória da categoria e assumiu a liderança do campeonato. “Na primeira bateria eu não larguei muito bem e, por isso, foi mais difícil. Já na segunda eu larguei bem, demorei umas duas voltas e já estava em primeiro e depois foi só administrar até o final”, disse. “Faz dois meses que comecei a andar na SX1 e já estou liderando, isso é muito bom! Mostra que estou me adaptando bem a moto”, completou.


Rodrigo Riffel venceu a bateria decisiva e faturou a etapa

 

Jonathan Menegasso finalizou a etapa em segundo, seguido de Jhonatan Batista, Venício Voigt e Erivelto Nicoladelli.


O paranaense Jonathan Menegasso foi o segundo colocado na soma das baterias

 


Venício Voigt ficou com a quarta colocação no geral da SX1

 

 

SX3

Braz dos Santos, veterano do velocross, largou na frente na disputa pela vitória da SX3, mas a sua permanência na ponta durou apenas até o final da sessão de costelas, onde sofreu uma forte queda. Com isso, Anísio Clasen que vinha em segundo, ficou com a ponta e se distanciou para vencer e assumir a liderança do campeonato. “Não consegui largar bem, mas no desenrolar da prova acabei me saindo bem. Essa pista é muito técnica e a minha experiência prevaleceu e consegui sair com a vitória, assumindo a liderança do campeonato”, comentou o vencedor.


Anísio Clasen venceu a SX3 e assumiu a liderança

 


Rogério Schmitt ficou com a segunda posição da categoria

 

 Rogério Schmitt foi o segundo colocado, seguido de Moacir Silveira Júnior, Gildo Massocco e Braz dos Santos, que sofreu mais uma queda, mas conseguiu se recuperar e terminar a prova na quinta colocação. “O supercross exige bem mais preparo, a pista é bem mais técnica. Minha praia é a velocidade, mas eu gosto de andar no supercross e motocross também. A minha dificuldade hoje foi que as costelas estavam muito altas, fiz uma boa largada, vinha mantendo, mas chegou ali e eu errei, a moto bateu nas minhas costas, consegui voltar, quando comecei a recuperar posições cai de novo, mas graças a Deus estou inteiro e ainda consegui um bom resultado”, disse Braz.


Mesmo com duas quedas, Braz dos Santos ficou com a quinta colocação

 

Intermediária

Rodrigo Riffel dominou a prova da categoria Intermediária. Riffel largou na segunda posição, atrás de Alex Cavalca, mas já na volta seguinte assumiu a ponta e abriu vantagem para vencer com mais de 30 segundos de vantagem para Charles Baron, segundo colocado. Alex Cavalca foi o terceiro colocado, seguido de Lawrence Tasca e Gabriel Claudino.


Riffel venceu também na Intermediária

 


Pódio Intermediária

 


Eduardo de Lavi e Charles Baron disputaram posições

   

85cc

Hallex Dalfovo venceu a segunda na temporada e ampliou sua vantagem na liderança da categoria. Luciano Oriano Júnior foi o segundo, seguido de Kauê Vieira, Leonardo Machado e Henrique Schmitt.


Hallex venceu a 85cc

 

65cc e 55cc

As categorias 65cc e 55cc cilindradas largaram juntas. Pela 65cc, Wagner Oliveira foi o vencedor. Já na 55cc deu Antony Maso.


Wagner de Oliveira foi o vencedor da 65cc

 


Antony Maso venceu a 55cc

 


Bernardo Zapelini foi o segundo na 55cc

 

Apoio:

FCM

Federação Catarinense de Motociclismo

Rua Comandante José Ricardo Nunes, 79
Capoeiras - Florianópolis - SC - 88070-220
Fone: (48) 3248-1950 Fax: 3348-8681
Email: fcm.sec@gmail.com

2001-2015 Todos os direitos reservados - Proibida reprodução do conteúdo sem autorização.